Protetor solar facial x protetor solar corporal: o que muda?

0
14

Eles têm a mesma finalidade, mas agem de formas diferentes. Nos protetores solares faciais e corporais, as funções, a textura e até mesmo a composição respeitam as necessidades de cada parte do corpo para uma proteção ainda mais eficaz e completa. Assim como todos os outros cosméticos, essas variações do mesmo produto respeitam papeis diferentes e, além disso, são pensados de forma bem específica para a rotina.

Isso acontece porque todos os dias somos expostos aos raios solares, mas nossa pele sofre com essa exposição de maneiras diferentes. Segundo a dermatologista Natália Nery, apesar de se tratar do mesmo órgão, algumas regiões são mais afetadas do que outras e, por consequência, os cuidados devem ser adaptados. “Ao contrário do corpo, a pele da face é exposta a diferentes elementos prejudiciais, como sol e poluição, por exemplo”, justifica.

O rosto precisa de cuidados especiais

No caso dos produtos destinados para proteção facial, alguns detalhes a mais são levados em consideração. “Os protetores solares faciais são formulados com textura mais leve e são mais facilmente absorvíveis”, explica a médica. Assim, eles se aplicam melhor ao rosto. “Existem ainda tipos específicos para cada tipo de pele – seca, oleosa ou mista. Para quem usa maquiagem, fórmulas com base ou cor também facilitam no dia a dia”, acrescenta Natália.

E em meio a diferenças, algo permanece o mesmo na hora de se proteger. É que, segundo a dermatologista, o fator de proteção solar usado no rosto deve ser o mesmo no corpo. Assim, todas as áreas expostas ao sol, como a face, orelhas, pescoço e membros devem ser protegidas. Quando o assunto é proteção solar facial e corporal, não basta se defender do sol, é preciso aprender a se proteger corretamente.

Faça um comentário