Meus pais também mentem

0
30

Já ouviu aquela história de que uma “mentirinha” não faz mal a ninguém?

“Eu deixei você acreditar, foi pro seu bem… Mas, daqui pra frente, esqueça tudo que eu te contei – eles não existem. Agora você já é grandinho demais pra crer nessas coisas…”

Imagine uma criança digerindo este tipo de informação. Se para um adulto, já é difícil lidar com uma decepção, por que nos parece tão simples jogar uma granada no mundinho que a criança construiu na terra da fantasia, sem pensar nas consequências que isso acarreta no seu caráter. Simplesmente parece ser algo que não importa, afinal, criança esquece tudo mesmo…

Nesta época do ano, no Natal – outra festa pirata – milhares de criança descobrem que na verdade o Papai Noel não existe.

Ihh, o Coelhinho da Páscoa também não – aliás, de quem foi essa brilhante ideia? Onde já se viu coelho botar ovo? ☹
A Fada dos Dentes já deve ter decretado falência.

Já pensou o que acontece na cabeça de uma criança quando descobre que tudo aquilo que ela acreditava era uma tremenda enganação?

Praticamente tudo com que você e eu sonhávamos e nos espelhávamos quando criança era uma tremenda ilusão. Eu vivia dirigindo meu jato invisível.
As crianças que crescem com a mensagem subliminar – meus pais também mentem, inventam histórias, manipulam informações – logo concluem que “ é algo que eu também posso fazer”. É normal.

Eu tive um dia que fazer a minha escolha como mãe, e eu escolhi a verdade. Não te digo que foi algo fácil, muitas vezes eu fui julgada e muito criticada – não só por professores, diretoras, familiares e outras quantas mães.
Minha filha nunca acreditou em nenhum desses personagens. Ela não participava das festas dedicadas a “santos”, Halloween, Carnaval… Nunca deu birra por brinquedo de Natal – e nem ficou frustrada por isso.
Te garanto que não foi uma opção “fanática” – foi bem pensada, racional – por quê eu, que fui tão corrompida pelo engano, iria permitir que minha filha passasse pelo mesmo?

Posso ter cometido vários erros como mãe, mas nesse ponto, eu tenho certeza absoluta que acertei.

Para ela, nunca existiram “atalhos” – tudo que tem, vem de Deus. Vivemos para o altar, e eu lhe ensinei o Caminho do Sacrifício.

Ela tem a oportunidade de conhecer a verdade, e a muitos heróis em carne e osso.

Faça um comentário